Cirurgia Plástica

É a especialidade que cuida das alterações estéticas da face e do corpo; corrige também as deformidades adquiridas e congênitas. Quem está apto a exercê-la é o médico que se especializou durante dois anos em cirurgia geral e fez mais três anos de treinamento em cirurgia plástica reconstrutora e estética, com aprovação em exame da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Por sua complexa formação, é o mais capacitado para realizar cirurgias estéticas e reparadoras. O profissional responsável por esta especialidade é o dr. Rafael Arruda, formado pela UNIFESP—EPM e membro da SBCP.

Cirurgia Estética

Cirurgia que envolve o uso de implantes (prótese de silicone) para aumentar o volume mamário ou restabelecer o volume perdido após perda de peso ou gravidez.

Diferentes técnicas podem ser empregadas, dependendo do paciente e cirurgião. Os implantes, mais comumente, podem ser introduzidos pelas vias inframamária, periareolar e axilar e se localizam abaixo da glândula mamária (subglandular) ou atrás do músculo peitoral (retromuscular).

O procedimento é rápido e o pós-operatório é bastante confortável, geralmente indolor.

É a cirurgia que remove o excesso de tecido mamáriogordura e pele, para atingir uma mama adequada em tamanho, forma, posição, simetria e proporção em relação ao corpo.

Dependendo da técnica empregada, pode haver variações quanto às cicatrizes. Normalmente situadas em forma de "T" invertido, na parte inferior da mama e em torno da aréola, ficam bastante disfarçadas.

O pós-operatório é relativamente simples, respeitando orientações como repouso e uso de malha elástica. O resultado poderá ser percebido nos primeiros 30 dias, porém as mamas atingem seu aspecto definitivo, em relação a cicatrizes, forma, volume, consistência e sensibilidade, entre o 6º e o 12º mês.

A mastopexia é a cirurgia para elevação e firmeza da mama, através da remoção do excesso de pele e do remodelamento dos tecidos ao redor, o que produz nova forma e suporte ao contorno mamário.

Existem diferentes técnicas que variam conforme a anatomia da mama. Pode-se também utilizar implantes (próteses), caso seja desejado um aumento simultâneo do volume.

Homens portadores de ginecomastia (aumento de mamas) podem ter indicação de correção cirúrgica. A redução da mama masculina é realizada através de procedimentos que utilizam a lipoaspiração e/ou a adenectomia (retirada da glândula mamária).

A cirurgia é rápida e o pós-operatório é, geralmente, bem tolerado. A cicatriz, pequena, ao redor da parte inferior da aréola fica bastante disfarçada pela própria condição de transição de cor para a pele normal.

É importante lembrar que muitos jovens experimentam um aumento temporário e fisiológico das mamas, com regressão espontânea, sendo sempre necessária uma avaliação prévia correta.

Pacientes que se submetem a cirurgia bariátrica (gastroplastia) apresentam grandes perdas de peso seguido por redundância de pele em áreas como abdome, mama, coxa e braço.

Diversas técnicas podem ser utilizadas para melhorar a forma corporal, removendo o excesso de gordura e pele das regiões.

Consiste na remoção do excesso de pele das pálpebras superiores e inferiores, com retirada de gordura e/ou músculos quando necessários. Quando adequadamente realizada, produz uma aparência mais jovial, descansada e atenta da região dos olhos.

Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele e são passíveis de serem cobertas com maquiagem leve.

A maioria dos casos é operada sob anestesia local (algumas vezes com uma sedação prévia) e praticamente não há dor pós-operatória ou outras intercorrências importantes. A recuperação é rápida e o retorno às atividades habituais não é demorado, seguindo os cuidados médicos adequadamente.

Também chamada de ritidectomia ou cirurgia de rugas, é um procedimento para melhorar os sinais da idade na face e no pescoço.

Possui inúmeras variações técnicas, desde procedimentos mais simples com pequena morbidade, até cirurgias mais agressivas.

Para o melhor resultado estético, geralmente o procedimento cirúrgico associa-se a outros tratamentos dermatológicos da pele, clínicos e/ou cirúrgicos como peelings químicos e/ou a laser, aplicação de toxina botulínica e preenchimentos.

A lipoaspiração afina e melhora o contorno de áreas específicas do corpo através da remoção do excesso de gordura por meio de cânulas.

Por não ser tratamento para obesidade, requer avaliação criteriosa. É consenso, na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que o volume total de gordura a ser retirado por sessão não ultrapasse de 5 a 7% do peso corporal. Respeitando limites e obedecendo a regras, é um procedimento seguro que deve ser realizado em ambiente hospitalar, para maior segurança do paciente.

Também chamada dermolipectomia abdominal, é a cirurgia para correção da flacidez da região do abdome.

Geralmente envolve a retirada do excesso de pele e gordura da região inferior ao umbigo, juntamente com a correção da musculatura abdominal (comumente separada após a gravidez). É comum sua associação à lipoaspiração dos flancos.

A rinoplastia melhora a aparência e a proporção do nariz, promovendo melhor harmonia facial. Pode envolver aspectos funcionais através da correção de anormalidades estruturais, que melhora a respiração.

Existe um equilíbrio estético entre o nariz e a face, equilíbrio este que o cirurgião deve observar, a fim de preservar a naturalidade e a autenticidade da face. Cada caso é estudado minuciosamente, para dar ao nariz a melhor forma possível, dentro das exigências da face. Se a escolha do paciente coincidir com o tipo de nariz planejado, sem dúvida seu desejo será atendido. Cirurgião e paciente deverão estar de acordo com o resultado possível de se obter.

Certos narizes permitem que as cicatrizes fiquem escondidas dentro da cavidade nasal. Em outros casos, entretanto, existem cicatrizes externas que, em geral, são pouco aparentes.

A otoplastia pode melhorar a forma, a posição ou a proporção da orelha em relação à face, corrigindo um defeito presente ao nascimento, desenvolvido durante o crescimento ou causado por trauma.

Os procedimentos mais comuns são as correções de lóbulo pós trauma (lóbulo bífido e furo alargado) e orelha de abano.

Mesmo as menores intervenções podem trazer grande benefício à aparência e autoestima. As cirurgias no lóbulo são muito simples, realizadas com anestesia local. Os pacientes femininos devem saber da necessidade de não furar novamente a orelha por aproximadamente 6 meses.

Cirurgia Reconstrutora

Após a mastectomia, a reconstrução de mama é atingida através de alguns procedimentos cirúrgicos numa tentativa de restabelecer formacontornotamanhoposição e simetria das mamas.

Vários fatores devem ser levados em consideração para a programação cirúrgica, como extensão da doença, condição do paciente, tratamentos complementares (radio e quimioterapia).

A reconstrução poderá ser imediata ou tardia. Dentre as alternativas, tem-se o expansor de tecido e implantes de silicone, retalhos locais e a distância, utilizando músculos como o reto do abdome e o grande dorsal.

Os tipos mais comuns de câncer de pele são os carcinomas basocelular e espinocelular e o melanoma maligno. Os tratamentos são variados e dependem do tipo de doença, extensão e localização. Podem variar desde pequenas cirurgias sob anestesia local até procedimentos mais complexos sob internação hospitalar.

A prevenção e o diagnóstico precoce são importantíssimos e influem diretamente no tratamento e prognóstico do paciente.

A revisão de cicatriz é uma cirurgia para melhorar a condição ou a aparência de uma cicatriz em qualquer lugar do corpo. Existem diferentes tipos de cicatriz, que exigem técnicas diferentes de tratamento.

Cicatrizes despigmentadas ou com irregularidades: não causam prejuízo funcional nem desconforto físico. Podem melhorar através de procedimentos cirúrgicos ou cosméticos. Exemplos são as cicatrizes de acne, incisões cirúrgicas prévias ou pequenos traumas.

Cicatrizes hipertróficas: são grossas, elevadas, desconfortáveis e podem se alargar ao longo do tempo. Podem ser hiperpigmentadas (escuras, avermelhadas) ou hipopigmentadas.

Queloides: são maiores e mais sintomáticos (pruriginosos e dolorosos) que as cicatrizes hipertróficas. Geralmente ultrapassam os limites da ferida inicial. Podem ocorrer em qualquer local do corpo, especialmente em lóbulos de orelha, tórax, ombro e dorso. São mais comuns em indivíduos negros e orientais.

Contraturas: são cicatrizes que restringem o movimento de articulações, geralmente ocasionadas por feridas com grandes perdas de pele, como queimaduras em joelhos, dedos e pescoço.

Queimaduras ainda representam parte importante dos traumas e demandam medidas específicas para seu tratamento.

Em grande parte por causa térmica, podem também ser de origem química e elétrica. Apresentam comprometimento superficial como as queimaduras solares ou profundas, com formação de bolhas e até necroses da pele. Variam, ainda, conforme sua extensão.

Além do tratamento agudo da ferida, pode haver necessidade de reparação de sequelas, desde pequenas cicatrizes inestéticas até graves retrações cicatriciais com comprometimento funcional importante.

A expansão de tecido é um procedimento que permite o crescimento extra de pele para reconstrução de algumas áreas do corpo.

Um balão de silicone é introduzido abaixo da pele, perto da área a ser reparada, e gradualmente é preenchido com soro fisiológico, causando o estiramento e crescimento da pele. É mais comumente utilizado na reconstrução de mama, em defeitos congênitos e acidentes (alopecias cicatriciais).

Comprometimento e qualidade é uma busca constante em todas as especialidades médicas da Clínica Arruda
(Dermatologia, Cirurgia Plástica, Urologia e Reumatologia).